fbpx

Portal Methodus

As 9 Características do Gestor Eficaz (+ E-book Gratuito)

gestão de equipe

As 9 Características do Gestor Eficaz (+ E-book Gratuito)

Descubra as 9 principais características consideradas essenciais para otimizar o desempenho e os resultados da sua equipe.

gestão de equipe

Não importa se você é dono, diretor, gerente ou chefe de equipe, também não importa a quantidade de pessoas que estão sob sua liderança, a verdade é que os resultados obtidos ou esperados de sua empresa ou da área que você comanda, dependem de suas habilidades e competências como gestor, para tirar o máximo de sua equipe.

A seguir relacionamos as 9 principais características consideradas essenciais para otimizar o desempenho e os resultados.

Como forma de exercício e avaliação pessoal, sugerimos que atribua uma nota de 0 a 10 em relação a sua performance para cada tópico. 

Existe, muitas vezes, uma grande diferença entre “como nos vemos” e “como somos vistos”. 

Para obter um feedback de sua equipe, solicite que façam a mesma avaliação sobre esses aspectos quanto a sua forma de atuação e compare com suas respostas.

Nas próximas publicações, apresentaremos orientações e ferramentas para melhorar seu desempenho em cada uma das características.

Confira as 9 características do gestor eficaz a seguir!


1. Motivação

Uma Equipe motivada e bem orientada em relação aos objetivos e o papel de cada um é fundamental para encontrar sinergia e bem estar no ambiente de trabalho.

Ser chefe não significa necessariamente ser um bom líder!

Para motivar pessoas é preciso que o líder esteja sempre automotivado. Também deve ser capaz de fazer uma leitura de cada comandado, entendendo a melhor forma de convencê-los a dar o máximo de si em seus projetos.

 

2. Proatividade

Ser proativo é, basicamente, não esperar as coisas acontecerem de maneira aleatória.

O líder proativo deve estar atento ao desempenho de sua equipe e sempre em busca de novos conhecimentos e ferramentas para melhoria de resultados e crescimento individual de seus colaboradores.

Um verdadeiro líder não pode se acomodar com a obtenção dos mesmos resultados sempre ou com a reincidência dos mesmos problemas.

A busca de crescimento contínuo e superação dos obstáculos dependem dessa capacidade de antecipação e proatividade.

Além disso, ele conta com ampla visão estratégica para o seu crescimento profissional e se recusa a tornar-se obsoleto.

Ele investe em novos conhecimentos, em especializações e no aprofundamento do seu conhecimento, para não estagnar na carreira.

 

3. Liderança

Para os leigos, é comum separar os papéis de gestor e de líder. Nos negócios, porém, é indispensável que ambos sejam desempenhados concomitantemente, pois não há mais espaço para gestores sem habilidade para liderar.

A principal habilidade para um bom líder é entender de pessoas, é saber que cada funcionário ou membro da equipe responderá de forma diferente aos seus estímulos e argumentos.

Alguns são motivados por recompensas, outros pelo prazer das conquistas.

Gostar de pessoas e ter empatia por seus sentimentos, ambições e respeitando seus limites e crenças é fundamental para conquistar o respeito e a confiança. 

Isso porque liderar independe de autoridade ou de poder. É ser capaz de persuadir e influenciar por meio de uma comunicação ativa e eficaz.

Ter uma argumentação consistente, clareza na exposição de ideias, sempre buscando por soluções em conjunto com as pessoas ao seu redor, aproveitando suas potencialidades e fazendo com que sintam-se confortáveis em contribuir com suas ideias.

 

4. Capacidade de dar e receber feedbacks

Todo colaborador necessita de um líder que o motive, que saiba encorajá-lo e que o estimule na busca por bons resultados.

Contudo, é essencial que o gestor tenha a capacidade de dizer no que tanto a equipe quanto ele mesmo podem melhorar. É nesse momento o feedback se faz essencial.

Esse canal de diálogo estabelece uma excelente ferramenta de aprendizado e aprimoramento do trabalho individual e em conjunto dentro de uma empresa.

Afinal, é por meio dele que você mostra ao seu colaborador como ele é percebido e avaliado dentro do mercado.

O oposto também é válido, e você deve ser humilde e tolerante para ouvir comentários sobre sua gestão — que podem não ser o esperado. 

Para isso, é preciso criar uma cultura dentro do ambiente de trabalho onde o feedback é recebido, e não imposto.

Também é importante demonstrar ao colaborador que, quando ele tiver um retorno negativo, isso significa que seus superiores estão acompanhando suas tarefas e desempenho e que se importam com o seu desenvolvimento.

Essa orientação serve para construir uma relação mútua de confiança e apoio a fim de promover mudanças positivas e o crescimento da empresa.

 

5. Inteligência emocional

Um bom gestor deve estar comprometido com o sucesso não só dos projetos, como da sua equipe e com os valores da empresa.

Para isso, é preciso saber lidar com as emoções, ou seja, ter inteligência emocional, para não perder a estabilidade psicológica, uma vez que você irá lidar com pessoas distintas, solucionar conflitos e participar de situações adversas.

Enfrente os desafios com sabedoria, coerência, tato e disciplina.

 

6. Gerenciamento de conflitos

Conflitos são comuns em um ambiente de trabalho. No entanto, às vezes, é preciso intervir e saber mediar situações que estejam desestabilizando a equipe.

O trabalho em conjunto é fundamental para se obter êxito, e as relações interpessoais têm papel importante no equilíbrio de um ambiente harmônico.

Para ser capaz de gerenciar conflitos é preciso ter empatia com os liderados, se colocando no lugar do outro e tentando entender o seu lado da história, seu ponto de vista.

É importante ouvir e buscar uma solução que acabe com a insatisfação de ambas as partes conflitantes. 

Administrar pessoas requer um trabalho contínuo de aptidão social e equidade.

 

7. Controle de processos e pessoas

Ser um gestor eficiente é saber negociar e delegar as tarefas de forma responsável, mostrando confiança e respeito pelo trabalho dos seus colaboradores, mas sem esquecer de controlar e acompanhar de perto o desenvolvimento de cada ação.

Além disso, é preciso analisar se as entregas são feitas dentro do prazo e se as devidas alterações são realizadas quando necessário.

Trata-se, portanto, de ser o agente catalisador de pessoas, planos, serviços e processos sempre em mutação — uma competência estratégica cada vez mais desejada dentro das empresas.

 

8. Planejamento objetivo e estratégico

A função do gestor dentro de uma empresa vai muito além da admissão de novos funcionários, solução de conflitos internos ou a gestão de colaboradores com foco nos ganhos e resultados.

Ele possui um papel fundamental no planejamento e na estratégia dos negócios, funcionando como o elo entre a estratégia e a ação.

A sua importância anda junto do bom desempenho e da lucratividade da empresa.

Um bom gestor é reconhecido por encarar o ato de planejar como algo contínuo, gradativo, flexível e responsável — ou seja, como um líder que não busca apenas o seu desempenho no presente, mas também no futuro.

 

9. Autorresponsabilidade

Um gestor eficaz tem uma postura de autorresponsabilidade, reconhecendo que o que ele está vivendo é o resultado de como tem pensado, falado, se comportado, trabalhado e encarado a vida e os desafios.

Ser autorresponsável é ter a capacidade de se responsabilizar completamente pelos resultados que tem colhido, com otimismo e motivação, independente das circunstâncias.

 

Conclusão

As características de um bom gestor que citamos aqui são essenciais para combinar os interesses da empresa às potencialidades dos seus colaboradores, desenvolvendo um trabalho de equipe proativo e motivado, que gere resultados concretos.

Através de sua autoavaliação, identifique seus pontos fortes e pontos fracos.

Busque conhecimento para evoluir sempre e , principalmente, verifique quais mudanças de atitudes podem ajudá-lo a conquistar o respeito e a admiração de sua Equipe.

E você? Já se considera um gestor eficaz? Qual dessas características você já desenvolveu, e qual precisa trabalhar para desenvolver ainda mais? 

Deixe sua contribuição nos comentários! 

Ah, e que tal compartilhar esse conteúdo com os gestores da sua empresa, ou com sua equipe para que façam uma autoavaliação, e também lhe avaliem como gestor? 

Para te ajudar com isso, fizemos uma versão dessa matéria em formato de E-book (PDF), totalmente gratuita para você baixar e utilizar como fonte de motivação ou compartilhar com quem desejar. 

Insira seu e-mail abaixo para fazer o Download Gratuito, e boa leitura!

 

Até a próxima! 

 

Principais Dúvidas sobre Amortecedores de Motocicletas

Amortecedor

Principais Dúvidas sobre Amortecedores de Motocicletas

Thiago Bessoni, responsável pelo departamento comercial, divisão 2 Rodas, da Fábrica Nacional de Amortecedores Ltda. (FNA), respondeu algumas das principais dúvidas sobre amortecedores e suspensão de motocicletas.

 
Amortecedor

Conversamos com Thiago Bessoni, responsável pelo departamento comercial, divisão 2 Rodas, da Fábrica Nacional de Amortecedores Ltda. (FNA) e esclarecemos algumas dúvidas importantes sobre amortecedores e suspensão de motocicletas… Confira a entrevista na íntegra!


1) Como o amortecedor com problemas afeta o desempenho e a vida útil da motocicleta?

Uma peça defeituosa tende a sobrecarregar os demais componentes da motocicleta. 

No caso da suspensão, deve afetar diretamente rodas e pneus, causando um desgaste acelerado e acentuado.

Além do desgaste no veículo como um todo, também deve gerar uma dificuldade excessiva ao condutor, podendo afetá-lo com dores nas costas por exemplo, já que o conjunto acaba se tornando muito instável em curvas, lombadas, buracos, etc.


2) Qual a durabilidade do amortecedor na moto?

Não existe um número exato, normalmente o amortecedor precisa ser revisado a cada 10 mil km rodados, porém esse número pode variar de acordo com o terreno em que a motocicleta normalmente roda e até ao peso dos seus condutores, assim, em terrenos esburacados e condutores pesados, ou que costumam andar com caronas, o desgaste deve ocorrer de forma mais rápida.


3) Como identificar a necessidade da troca do amortecedor?

O desgaste do amortecedor pode ser facilmente identificado pelo condutor, ou seja, a motocicleta tende a apresentar instabilidade em curvas ou lombadas, pode apresentar vazamentos de óleo, barulhos ou batidas, muitas vezes até arremessando o piloto para cima, já que não tem pressão para segurar a compressão e o retorno. 

Ao identificar alguns dos problemas acima, a revisão deve ser realizada o mais rápido possível.


4) Como e quando fazer a manutenção do amortecedor? Isso é possível?

Ao apresentar problemas, montadoras e fabricantes indicam a troca total do equipamento, porém, para motos de maior cilindrada, existem no mercado alguns reparadores de suspensão, geralmente disponibilizados por empresas que trabalham com preparação de motocicletas para trilhas, etc.

Outro detalhe importante e que consideramos de suma importância é a regulagem correta do amortecedor, isso deve ser feito pelo mecânico, de acordo com as diferentes regulagens de pressão que os amortecedores dispõem.

Esse ajuste está diretamente ligado ao peso, modo de uso e terreno em que o veículo irá rodar, melhorando bastante a dirigibilidade da motocicleta e gerando maior conforto ao condutor.

amortecedores

5) Qual a incidência de peças falsificadas e de má procedência no mercado hoje em dia? 

Devido ao grande número de marcas desconhecidas disponíveis no mercado nacional e pelo fato de atualmente não termos um controle de qualidade (Inmetro), o consumidor deve se proteger optando por marcas reconhecidas como sinônimo de qualidade e que ofereçam garantia expressa, por escrito.

A FNA, por exemplo, é uma empresa dedicada à parte de suspensão, atuante no mercado desde o ano de 1960, ou seja, possui o conhecimento e a tecnologia necessária para ofertar ao mercado produtos com o mais alto nível de qualidade.

 

6) Qual orientação para que o consumidor não compre esse tipo de peça?

Muitas vezes o consumidor tende a optar pelo produto mais barato, porém, no caso de uma peça tão importante para o funcionamento da motocicleta, muitas vezes o barato pode sair caro. 

Optar por um produto de qualidade reconhecida e que disponha de garantia será sempre a melhor escolha.

 

7) Qual a característica técnica do produto? Suas especificações, o tipo de moto para que é indicado, qual é melhor para quem anda muito com a moto e para quem anda pouco?

Atualmente existem 2 tipos de amortecedores, são eles:

Hidráulicos: como o próprio nome sugere, essa tecnologia funciona através do uso de mola, óleo e ar.

Esse modelo de amortecedor tem o funcionamento simples e geralmente está presentes em motos como Titan 160, YBR, Biz, entre outras.

Outro detalhe é o tipo de suspensão em que a moto é configurada, que pode ser através de sistema de amortecimento central (chamado monoshock), onde cada moto recebe somente um amortecedor na sua parte central; ou o sistema de suspensão bishock, em que a moto recebe dois amortecedores, um em cada lado de sua traseira. 

Pressurizados ou a gás: nas motos de maior cilindrada, ou que exigem um controle maior de sua suspensão, como por exemplo, CB 300, Falcon, CRF 230, podemos ver normalmente amortecedores chamados pressurizados.

O funcionamento desse amortecedor é parecido com o hidráulico, porém ele recebe o reforço do gás nitrogênio no sistema de compressão e retorno, ou seja, o gás nitrogênio proporciona um melhor ajuste e ajuda na dirigibilidade do veículo, muitas vezes tornando a pilotagem mais confortável.

 

8)   Qual recado gostaria de deixar para os leitores e consumidores do mercado de motopeças?

Como recado final, reitero a importância do consumidor optar por marcas confiáveis e que deem o respaldo que um amortecedor exige. 

Como falamos antes, o amortecedor tem papel fundamental na estabilidade do veículo e protege o condutor em diversas situações recorrentes,  como por exemplo na absorção das irregularidades das vias onde a motocicleta transita.

Minha recomendação é que você opte por um parceiro confiável que conheça o produto que comercializa e possua reconhecimento no mercado, como a FNA.

 

Conclusão

Nesta entrevista, Thiago esclareceu muitos aspectos importantes sobre funcionamento, durabilidade e qualidade de amortecedores e suspensão de motocicletas.

Outro ponto relevante destacado diz respeito ao cuidado que o consumidor deve ter na hora da escolha do amortecedor para sua moto, tendo em vista que a opção por uma peça de qualidade inferior pode representar um maior risco de danos ao veículo e até mesmo para a segurança do piloto. 

Lojistas de motopeças, por sua vez, devem buscar fabricantes de alta confiabilidade e credibilidade no mercado para fornecimento dos amortecedores que disponibilizam em seus estabelecimentos, garantindo, assim, um alto nível de qualidade em seu mix de produtos, o que resulta na fidelização de clientes. 

E você? Teve suas principais dúvidas sobre amortecedores resolvidas neste artigo? Caso necessite de maiores informações ou esclarecimentos, deixe seu comentário abaixo ou nos envie uma mensagem, teremos muito prazer em ajudá-lo.

Não se esqueça de compartilhar este artigo em suas redes sociais e deixar sua opinião. Continue navegando pelo Portal Methodus para ver muito mais conteúdos sobre o Mundo das Motopeças.

Até a próxima!

 

Sua loja de motopeças está preparada para atender o público feminino?

mulher de moto

Sua loja de motopeças está preparada para atender o público feminino?

Com a expansão do mercado de trabalho e aumento da renda, a mulher passou a ter destaque nas estratégias de marketing em todos os setores. 

mulheres motociclistas

Fonte: DENATRAN

Não é de hoje que os especialistas em marketing e vendas sugerem o foco no público feminino para atingir melhores resultados. Esses profissionais buscam, cada dia mais, compreender e atingir suas demandas específicas através de pesquisas. E isso não pode ser negligenciado em nosso setor de motopeças de forma alguma.

A mulher brasileira passa por um intenso processo de empoderamento e expansão financeira sem precedentes.  São chefes de família e desempenham cada vez mais papéis de liderança dentro das empresas de todos os tipos, pois o mercado aprecia a cultura e o comportamento característico às mulheres nas tomadas de decisões e no direcionamento de projetos e equipes. 

Elas também possuem mais anos de formação e qualificação profissional em relação aos homens, o que interfere em seus critérios de compra. É o público que mais tempo passa nas redes sociais e internet em geral – ainda mais se considerarmos o público feminino jovem.  

Estes dados são apenas uma amostra do quanto o público feminino é importante para movimentar a economia em geral, e não pode ser negligenciado por nenhuma empresa brasileira, independentemente do seu nicho de mercado. 

No mercado de motopeças, especificamente, temos a comprovação de que a cada ano aumentam os números de mulheres motociclistas no Brasil, como apontam os dados divulgados pelo DENATRAN em 2020. Segundo esses indicadores, as mulheres habilitadas para pilotar motocicletas já representam 23% do número total de condutores.

Nos últimos 10 anos, as corporações buscam compreender de forma estratégica como se comportam as mulheres diante das ofertas – o que as faz se decidir pela compra, o que mexe com o seu imaginário, qual o seu processo de escolha (preço, tempo de uso, qualidade, etc.).  

Todos esses aspectos devem ser observados na hora da escolha do seu mix de produtos e na criação de ações de vendas, para garantir que a oferta esteja à altura da demanda. Afinal de contas, você deve tomar as medidas necessárias para fidelização do público feminino antes da sua concorrência… E elas gostam de variedade com atendimento diferenciado!


As mulheres consumidoras em nichos historicamente masculinos

mulher de moto

Essa questão em particular foca no poder de consumo específico da mulher – é preciso entender o seu comportamento para oferecer produtos que atendam às suas expectativas e necessidades, com propagandas e campanhas que sejam assimiladas especificamente por este público.  

No mercado de motopeças, por exemplo, é comum ver ações de vendas e propagandas focadas exclusivamente no público masculino. O que as empresas não se dão conta é que: aquilo que atrai a atenção dos homens não é a mesma coisa que atrai o interesse da mulher… Ou seja, não há muito esforço por parte dos fabricantes e lojistas desse nicho para atrair e fidelizar o público feminino. 

Isso representa uma grande lacuna no setor, pois o número de mulheres motociclistas no Brasil aumenta mais a cada dia, como visto acima. Sem mencionar aquelas que andam na garupa e também precisam de acessórios de proteção estilizados à altura! 

Se antes alguns produtos tinham a ação estratégica voltada exclusivamente para os homens – como as propagandas de bebidas, carros e motos, por exemplo – a abordagem sexista caiu por terra, já que as mulheres crescem entre os consumidores de todos os segmentos, sem limitações. 

Isso indica a importância das estatísticas e pesquisas para entender o comportamento e o potencial de compra do público feminino, como diretrizes para que as empresas possam se atualizar e rever os próprios conceitos, apresentando estratégias para ampliar sua participação de mercado, buscando produtos e fornecedores alinhados com essa tendência.

O que é preciso analisar para adequar meu negócio a esse segmento?

mulher motoqueira

Imagem: Divulgação internet

O público feminino é um segmento bem específico e irá se expandir continuamente. Por isso, é importante conhecer a fundo o seu comportamento e os seus anseios, e ter em foco as seguintes premissas que determinam o seu direcionamento no mercado e garantem a fidelização da cliente:

  • Qualidade dos produtos e marcas confiáveis
  • Atendimento personalizado
  • Variedade no mix de produtos
  • Criatividade nas ações de vendas e propagandas
  • Espaço físico sem limitações de gênero


    Esses são apenas alguns conceitos que devem estar presentes nas ações de marketing.

    Vale lembrar que a mulher possui uma posição estratégica enquanto formadora de opinião: o seu aval está relacionado a diversos outros públicos, principalmente o masculino. 

Não é raro ver o seu cliente homem chegando à loja acompanhado da namorada ou esposa, certo? A sua impressão sobre os serviços e produtos conta, e muito!

Atualmente, como está a oferta de acessórios de motos para mulheres?

mulher em moto pcx

Imagem: Divulgação internet

Que o nosso mercado precisa evoluir no que diz respeito à oferta de produtos voltados ao público feminino, tanto em variedade quanto nas ações de vendas e propagandas, é certo! Mas, o que observamos atualmente sobre isso? A demanda aumentou… Será que as empresas estão atentas a essa tendência?

O que temos visto é que houve um aumento, sim, por parte da oferta de produtos específicos para o público feminino no nosso nicho, porém, nada perto do que a demanda representa! 

Inclusive, uma boa estratégia para lojistas é buscar valorizar as mulheres enquanto ainda andam na garupa, pois a tendência de se manterem fiéis à sua loja ou marca após se tornarem pilotos é altíssima.

Isso porque existe um movimento natural que faz com que as mulheres adquiram um maior interesse e gosto por motocicletas após acompanhar seus parceiros em viagens e passeios, vindo a se tornarem pilotos posteriormente.

Vestuário e acessórios para motociclistas mulheres

mulher motociclista

O principal produto que apresenta opções com estilos diferentes e maior variação para mulheres é o capacete. São vários modelos com desenhos e cores pensados especialmente para as motociclistas mulheres – nesse quesito, o lilás e o rosa costumam agradar bastante! 

 A jaqueta é outro produto muito procurado pelas mulheres, pois os modelos femininos possuem um corte diferenciado para valorizar a silhueta. As cores variam entre as mais clássicas e as mais ousadas, como vermelho e azul. Apesar do mercado brasileiro apresentar algumas opções, as fabricadas no exterior costumam ser diferenciadas e também chamam a atenção.

No vestuário, dois produtos que ainda deixam a desejar em termos de atratividade para o público feminino são as calças e as botas para mulheres motociclistas. As calças de proteção, em particular, não costumam valorizar o corpo, o que faz com que as mulheres optem por calças em tecido comum, aumentando seu risco e exposição a danos em caso de quedas.

As botas decepcionam ainda no quesito cores e variedade, pois a maioria segue um “estilo comum” na cor preta e não possuem salto, o que não costuma atrair o interesse das mulheres!  

As capas de chuva, por sua vez, apresentam variedade nas cores, mas quando o assunto é conjunto (calça e jaqueta), as opções caem consideravelmente. 

Segundo levantamento realizado por Amanda Pagliari, colunista do site Mulheres de Moto,  “a principal queixa das mulheres é pela falta de opções de modelos”. A variação de modelos é muito importante, ou seja, não basta ter no estoque apenas um modelo disponível, mesmo que em diversas cores. 

Ela ainda constatou que, no mix de produtos dos lojistas em geral, os produtos campeões em queixas são as luvas, que apresentam pouca opção de marcas, modelos e cores.

Conclusão: espaço para melhorias!

Como vimos no artigo de hoje, o mercado de motopeças, vestuário e acessórios para mulheres motociclistas vem trazendo algumas novidades e apresentando melhorias para atender ao público feminino ao longo dos últimos anos, porém ainda existe muito espaço para sofisticar o atendimento para esse segmento! 

Pensar em ações estratégicas de vendas e buscar enriquecer seu mix de produtos com peças e acessórios atrativos para as mulheres não é apenas uma maneira de manter-se atual nas tendências e indicadores… Significa também pensar no fortalecimento do seu negócio e no aumento dos seus resultados.

Para os fabricantes, é essencial usar a criatividade e manter um olhar minucioso, direcionado para as tendências de moda e estilo, visando aliar conforto e segurança sem deixar a feminilidade de lado.

Pare agora e pense por um minuto: quanto você e sua marca ou loja valorizam o público feminino em suas decisões estratégicas? O seu espaço é preparado e adaptado para atender mulheres motociclistas com o diferencial necessário a esse segmento? 

Uma coisa é certa, se você não se atentar para esse segmento de consumidores que cresce mais e mais a cada dia, alguém vai tomar uma atitude antes que você! Posicione-se enquanto ainda há tempo para apresentar essas mudanças como um “diferencial” no mercado… Em breve não haverá mais essa opção! 

Deixe aqui nos comentários sua opinião sobre o assunto… O que você tem observado no dia a dia em relação à demanda por produtos voltados ao público feminino? Queremos conhecer seu ponto de vista

Continue navegando pelos conteúdos do Portal Methodus – O Mundo das Motopeças para muito mais insights e dicas importantes para o seu negócio de motopeças

Infográfico: o que esperar do mercado pós-pandemia?

mercado pós-pandemia

Infográfico: o que esperar do mercado pós-pandemia?

Descubra quais são as tendências para os negócios após o fim da pandemia do Covid-19.

Que o mundo nunca mais será o mesmo após o fim da pandemia do Covid-19, ou coronavírus, não é surpresa para ninguém! Mas, você já parou para pensar em quais serão os principais aspectos de mudança na sociedade, e, principalmente nos negócios?

Em colaboração com o Portal Methodus, Antônio Menezes, da Stylu, elaborou um infográfico onde relaciona quais tópicos merecem atenção nos negócios pós-pandemia a seu ver, trazendo reflexão sobre o tema. 

Dentre eles, estão: home office como tendência definitiva de trabalho, a forma como os dados e informações são capturados, armazenados e processados, novos modelos de negócio, atenção especial a crenças e valores corporativos, mudanças nos hábitos de consumo, reconfiguração dos espaços de trabalho, valorização e novas formas de serviços com delivery, experiências culturais voltadas para o universo virtual, comodidade de morar perto do trabalho como prioridade, e o aumento da demanda por educação à distância. 

Para ver as informações completas, confira o infográfico: 


Infográfico que mostra as tendências do mercado pós-pandemia

O compartilhamento do material produzido por Antônio Menezes vai ao encontro da nossa intenção de tornar o Portal Methodus um espaço colaborativo para que a nossa comunidade possa se conectar através de informações e conteúdos relevantes para o setor como um todo. Em breve teremos novidades sobre esse “canal”!

E você? O que achou das tendências para o mercado pós-pandemia? Qual dos aspectos citados no infográfico é mais importante, pelo seu ponto de vista? Queremos muito saber a sua opinião! Deixe seu comentário abaixo e compartilhe esse post nas suas redes sociais. 

Continue navegando pelo Mundo das Motopeças para ver muito mais conteúdos de valor para o mercado de motopeças! E lembre-se de clicar no botão “Pesquisa de Interesse” na barra superior para nos contar sobre o que você deseja ver por aqui. 

Até a próxima!